Oncologia,

Grupo de  Órbita e

                  Oculoplástica

Melanoma

 

Oncologia

Tumores da conjuntiva  

Tumores Malignos:  Melanoma

O melanoma da conjuntiva representa cerca de 2% dos tumores malignos oculares e 5% dos melanomas oculares.

É o segundo tumor maligno da conjuntiva a seguir ao carcinoma pavimento celular.

Ocorre em adultos a partir da 6ª década de vida, mais frequentes na raça branca, e muito raros na raça negra.

 

Podemos distinguir três grupos, segundo a sua proveniência:

    - derivados de PAM (Melanose Primária Adquirida) com atipia: 75%

    - derivados de nevos: 20-25%

    - de novo: 15-25%

Alguns melanomas podem desenvolver-se em conjuntivas com nevos e PAM associados, e o que surge sobre PAM tem o dobro de probabilidade de recidivar.

 

Clínica: Clinicamente são unilaterais, podem surgir em qualquer local da conjuntiva, mas mais frequentemente junto ao limbo, como um nódulo pigmentado, ricamente vascularizado, podendo ser multifocais (se provenientes de PAM).

 

Tratamento: O tratamento deve ser a ressecção total tão cedo quanto se faça o diagnóstico, mesmo que pequena a lesão, se possível com crioterapia adjuvante no leito da lesão e nos bordos do tecidos peri-lesionais.

 

Prognóstico: Como factor prognóstico, como na pele, a espessura da lesão é importante, ainda que discutível. Os factores de pior prognóstico são atingimento da conjuntiva do fórnix ou tarsal, invasão da esclerótica e da órbita, e ausência de inflamação.

A sua disseminação faz-se pelos linfáticos, afectando primeiro os gânglios pré-auriculares, e posteriormente os sub-maxialres e cervicais. A mortalidade global é de 25% dos casos.

 

Seguimento: Devem ser observados com frequência, pesquisando toda a superfície da conjuntiva, bem como das pálpebras. Como todos os melanomas, uma vez controlado localmente, é necessário um acompanhamento semestral, com avaliação sistémica.

 

     Melanoma da conjuntiva tarsal e bordo palpebral de um homem de 51 anos de idade.

 

     Melanoma da conjuntiva tarsal e bordo palpebral de uma mulher de 75 anos de idade.  Descrição da cirurgia e evolução 

 

     Melanoma da conjuntiva bulbar de uma mulher de 29 anos de idade, provavelmente secundário a um nevo da conjuntiva.  Descrição da cirurgia e evolução 

 

     Melanoma da conjuntiva e periferia da córnea, num quadro de Melanose Primária Adquirida (PAM) difusa, de uma mulher de 67 anos de idade.

 

     Melanoma da conjuntiva e periferia da córnea, num quadro de Melanose Primária Adquirida (PAM) de um homem de 71 anos de idade.  Descrição da cirurgia e evolução 

     Melanoma do limbo e da córnea de uma mulher de 69 anos de idade.  Descrição da cirurgia e evolução 
     Melanoma quase exclusivo da córnea de uma mulher de 77 anos de idade.  Descrição da cirurgia e evolução 

 

    Melanoma do limbo e córnea, de um homem de 41 anos.  Descrição da cirurgia e evolução 

 

    Melanoma quase exclusivo da córnea, de um homem de 78 anos.  Descrição da cirurgia e evolução 

 

     Melanoma da conjuntiva e limbo com invasão da córnea, de um homem de 65 anos.  Descrição da cirurgia e evolução 

     Melanoma da conjuntiva bulbar de uma mulher de 85 anos de idade.  Descrição da cirurgia e evolução 

 

     Melanoma da carúncula, prega semilunar e fórnix inferior da conjuntiva de uma mulher de 64 anos de idade.  Descrição da cirurgia e evolução 

 

     Melanoma da carúncula e prega semilunar de uma mulher de 84 anos de idade.  Descrição da cirurgia e evolução 

 

     Melanoma difuso da conjuntiva num quadro de Melanose Primária Adquirida (PAM), num doente de 62 anos de idade, de raça negra.  Descrição da cirurgia e evolução 

 

     Melanoma da conjuntiva num quadro de Melanose Primária Adquirida (PAM) difusa grave, numa doente de 49 anos de idade.  Descrição da cirurgia e evolução 

     Melanoma da conjuntiva num quadro de Melanose Primária Adquirida (PAM) difusa grave, numa doente de 92 anos de idade.  Descrição da cirurgia e evolução 

 

     Melanoma da conjuntiva num quadro de Melanose Primária Adquirida (PAM) difusa grave, numa doente de 85 anos de idade.  Descrição da cirurgia e evolução 

 

     Melanoma da conjuntiva num quadro de Melanose Primária Adquirida (PAM) difusa grave, numa doente de 86 anos de idade.

 

     Melanoma nodular da conjuntiva num quadro de Melanose Primária Adquirida (PAM), numa doente de 70 anos de idade.  Descrição da cirurgia e evolução 

 

     Melanoma nodular da conjuntiva num quadro de Melanose Primária Adquirida (PAM), numa doente de 83 anos de idade.  Descrição da cirurgia e evolução 

     Melanoma nodular amelanótico da conjuntiva numa doente de 69 anos de idade.  Descrição da cirurgia e evolução 

 

     Melanoma nodular da conjuntiva numa doente de 80 anos de idade.  Descrição da cirurgia e evolução 

 

     Melanoma nodular da conjuntiva numa doente de 91 anos de idade.  Descrição da cirurgia e evolução 

 

     Melanoma nodular da conjuntiva numa doente de 63 anos de idade.

 

     Volumoso melanoma da conjuntiva, com envolvimento das pálpebras e da órbita.

     Nesta fase de desenvolvimento, os melanomas tornam-se muito friáveis ao toque, que causa hemorragias, pequenas mas frequentes.

Videos

 

ATENÇÃO: Os videos apresentados são feitos para oftalmologistas.

Podem conter imagens chocantes para o público em geral.

 

Lesões pigmentadas da conjuntiva – diagnóstico diferencial

João Cabral, Mara Ferreira, José A Laranjeira, Peter Pêgo, Gonçalo Almeida, Diogo Cavalheiro

Resumo:

Introdução: Quando nos deparamos com uma lesão pigmentada da conjuntiva, a principal atitude a tomar é fazer o diagnóstico diferencial entre lesão benigna e lesão maligna, pois a nossa actuação vai ser muito diferente.

Objectivos: Este trabalho pretende ilustrar em video diferentes lesões pigmentadas da conjuntiva e os meios empregues para o seu diagnóstico diferencial.

Material e métodos: Observação e seguimento de vários doentes com lesões pigmentadas da conjuntiva, desde os simples nevos, as melanoses primárias adquiridas e vários melanomas, bem como outras lesões pigmentadas que simulam tumores melanocíticos.

Resultados e conclusões: Apesar da grande maioria das lesões pigmentadas da conjuntiva serem benignas, temos de as vigiar com regularidade, pois podem transformar-se em malignas. Sempre que se tratam de lesões mais suspeitas a vigilância deve ser mais apertada, e quando parece não haver dúvida de se tratar de uma lesão maligna, deve proceder-se ao tratamento o mais cedo possível.

   Apresentado no 51º Congresso Português de Oftalmologia,

   no Porto, Dezembro de 2008.

 

Lesões pigmentadas da conjuntiva – tratamento e resultados

João Cabral, Mara Ferreira, José A Laranjeira, André Gonçalves, Samuel Alves, Filipe Silva

Resumo:

Introdução: Quando nos deparamos com uma lesão pigmentada da conjuntiva, a principal atitude a tomar é fazer o diagnóstico diferencial entre lesão benigna e lesão maligna, pois a nossa actuação vai ser muito diferente.

Objectivos: Este trabalho pretende descrever em video vários modos de tratamento de diferentes lesões pigmentadas da conjuntiva, e os seus resultados.

Material e métodos: Tratamento de vários doentes com lesões pigmentadas da conjuntiva, desde os simples nevos, as melanoses primárias adquiridas e vários melanomas, bem como outras lesões pigmentadas que simulam tumores melanocíticos.

Resultados e conclusões: Apesar da grande maioria das lesões pigmentadas da conjuntiva serem benignas, temos de as vigiar com regularidade, pois podem transformar-se em malignas. Sempre que se tratam de lesões mais suspeitas a vigilância deve ser mais apertada, e quando parece não haver dúvida de se tratar de uma lesão maligna, deve proceder-se ao tratamento o mais cedo possível.

   Apresentado no 51º Congresso Português de Oftalmologia,

   no Porto, Dezembro de 2008.

Poster

Melanoma maligno da conjuntiva

Sara Ramires Pinto, Sara Carrasquinho, Mara Ferreira, Nuno Amaral, Jesus Ocaña, João Cabral

   Apresentado: no XLVIII Congresso Português de Oftalmologia, em Cascais, Dezembro de 2005, 

   onde foi vencedor da Menção Honrosa SPO – Melhor Póster.

 

                  Oncologia,

Grupo de  Órbita e

                  Oculoplástica

Melanoma