Oncologia,

Grupo de  Órbita e

                  Oculoplástica

Teratoma

 

Oncologia

Tumores da órbita

Teratoma

   O teratoma é um tumor congénito raro que deriva de um mau direccionamento das células germinativas. São compostos por espaços quísticos, e a maioria produz uma proptose acentuada pela acumulação de secreções.

    Para ser classificado como teratoma, têm de ser identificados tecidos provenientes das 3 camadas germinativas embrionárias (ectoderme, mesoderme e endoderme).

    O tratamento é cirúrgico, e normalmente está sempre indicado por haver repercussão clínica.

   Desvio superior e externo do globo ocular esquerdo desde nascença com 14 anos de evolução.
Teratoma    Corte axial de RM, revelando volumoso tumor quístico retro-ocular esquerdo, empurrando o globo ocular para diante (proptose) e para fora. Observa-se zona de hipo-sinal (a negro) no seu interior correspondendo a peça dentária.
Teratoma    Corte sagital de RM, em que se observa que o tumor comprime, deforma e desvia o globo ocular para cima.
   Peça operatória, uma vez aberta, revelando no seu interior peças dentárias.

   Pós operatório.

Video

 

ATENÇÃO: Os videos apresentados são feitos para oftalmologistas.

Podem conter imagens chocantes para o público em geral.

 

História de um quisto

João Cabral, Mara Ferreira, Bernardo Feijóo, Sara Carrasquinho,

Peter Pego, Gonçalo Almeida, Isabel Prieto

Resumo:

Os tumores quísticos da órbita na infância são raros. Se bem que o diagnóstico clínico e imagiológico possa ser relativamente fácil, o momento ideal para o seu tratamento pode ser controverso, dependendo de muitos factores, entre os quais a localização, a dimensão e a repercussão no sistema visual.

Neste trabalho, ilustra-se a história de um quisto congénito da órbita, diagnosticado desde muito cedo, mas que por vários motivos, só foi operado aos 13 anos. Apesar da localização inicial ser no vértice da órbita e de ser já de grandes dimensões, foi feita a excisão por via anterior (transconjuntival). O pós-operatório decorreu sem problemas, com melhoria significativa da acuidade visual, apesar de manter alguma limitação dos movimentos oculares. O resultado anátomo-patológico revelou tratar-se de um teratoma benigno da órbita, e encontraram-se tecidos provenientes das três camadas embrionárias.

   Apresentado no XLIX Congresso Português de Oftalmologia,

   em Évora, Dezembro de 2006.

                  Oncologia,

Grupo de  Órbita e

                  Oculoplástica

Teratoma